Relação entre o câncer e o consumo de álcool e outras drogas

07/04/2022 16h43 - Atualizado em 07/04/2022 16h44

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que o câncer é a segunda principal causa de morte no mundo. A fim de conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e de medidas de prevenção contra a doença, foi instituído o dia 8 de abril como o Dia Mundial de Combate ao Câncer.

De acordo com a médica psiquiatra Fernanda Baldo Gomes, que atua no Centro de Centro de Acolhimento e Atenção Integral sobre Drogas (CAAD) de Vitória,entre os fatores de risco para o desenvolvimento da patologia, destaca-se o consumo de drogas. “Basicamente, o câncer surge porque células do corpo humano passam a se reproduzir de maneira desordenada e substâncias como cigarro, álcool e maconha interferem ainda mais nesse processo de divisão”, explica a médica. 

O cigarro, por exemplo, é o principal fator de modificação para diversas células, podendo causar câncer de pulmão, de próstata, de bexiga e de cabeça e de pescoço, que compreende a língua, a laringe, os seios da face etc). A OMS, inclusive, aponta o tabagismo como a principal causa de morte evitável no planeta. 

Segundo a psiquiatra, tanto o tabaco quanto a maconha atuam de forma semelhante para o desenvolvimento do câncer. A fumaça e a alta temperatura das duas drogas, juntamente com outras substâncias de suas composições, entram em contato com células de diversos tecidos e órgãos, principalmente o pulmão. Estima-se que fumar aumenta o risco de câncer de pulmão em até 60 vezes. 

O álcool, por sua vez, também pode ser o responsável por diversos tipos de câncer: de estômago, de intestino, de esôfago e de fígado. “A bebida alcoólica tem muita relação com o câncer de fígado porque muda o funcionamento do órgão, que é responsável por filtrar e metabolizar a substância. Quando o consumo de álcool é problemático, o fígado precisa trabalhar muito, o que pode impactar nas divisões celulares e no surgimento do câncer”, esclarece a psiquiatra.